09/02/10 – Dia da Internet Segura

Você pode não saber mas hoje é o Dia da Internet Segura, uma campanha que começou na Europa e foi abraçada por outros países como o Brasil. A iniciativa rola desde 2003 e em 2009 já contava com 65 países incluindo o Brasil, que vai pra sua terceira participação.

Dia da Internet Segura - 2010Banner de divulgação da Campanha.

Numa época onde todo mundo fala de tudo, coloca foto de tudo, vídeo de tudo, enfim tudo de tudo, o tema deste ano será Pense Antes de Postar. Cuidados idiotas que todo mundo já devia estar careca de saber como por exemplo a correta utilização da privacidade das Redes Sociais (coisas que só os seus amigos podem saber, e etc.), não postar fotos comprometedoras (suas ou da sua vizinha gostosa que passeia na janela só de calcinha), não falar da vida do seu filho de 10 anos por aí – alertando seu filho de 10 anos a fazer a mesma coisa – e por aí vai, serão discutidos nesse dia.

Infelizmente, pelo menos pra mim que estou no Rio, as principais atividades no Brasil rolam em São Paulo, mas com transmissão ao vivo no site http://www.internetsegura.br. A lista completa de eventos contempla os estados da Paraíba, Minas Gerais, Acre – pasmem, a internet chegou lá – e o Rio de Janeiro, com uma oficina de educadores que o site não diz onde vai ser.

Esse tipo de coisa é até bacana, mas não pode ficar num dia só. Chega em Junho… pff, em Junho! Depois do Carnaval o povo já tá divulgando a vida aí a torto e a direito. Calma lá minha gente, Pensem Antes de Postar, por favor.

Abaixo o vídeo de divulgação da campanha, com o mousezinho fazendo M pra ilustrar.

Criança de colo no colo – campanha pelo respeito ao assento alheio

Sou irremediavelmente reclamão. Reclamo daquelas pequenas coisas, coisa de velho, sabe? Sou um velho de 22 anos, é isso. Consciente disso já não sei se reclamo do que deveria reclamar mesmo ou de coisas tão pequenas que só incomodam a quem leva esse estilo alternativo de viver.

Pelo título do post deu pra sacar né? Os fuzilados de hoje são os espertos que não colocam as crianças de colo no colo. Realiza: você entra no ônibus, passa a roleta. Examina e acha um – um mesmo, o último – lugar vago. Vai andando, quase tropeça com a sua mochila pesada (que ninguém se oferece pra segurar até você chegar no trabalho) chega no lugar vazio e… ele não está vazio. Está ocupado por um projeto de gente que poderia muito bem estar no colo da mãe (ou pai, ou avó, seja lá quem for). E pior que o ônibus vai enchendo e o povo não se liga! Você tenta reclamar e o barraco acontece. O jeito é viajar em pé mesmo.

Ônibus vazio? Apenas ilusão de ótica.Ônibus vazio? Apenas ilusão de ótica.

Fica a campanha: Senhores passageiros portadores de criança de colo, favor colocá-las no colo. Grato.

Fone de ouvido não é megafone – campanha pelo respeito ao ouvido alheio

Post curto sobre a falta de noção das pessoas que andam comigo nos transportes públicos.

Hoje, na ida pro trabalho, sentei do lado de uma estranhíssima figura. Roupa estranha, cabelo engraçado, óculos escuros, pulseiras e um celular na mão. Preso ao celular um fone de ouvido.

Tenho dormido pouco e mal durante os últimos dias e achei que poderia descontar o atraso do meu sono cochilando na ida pro trabalho. Não consegui. O figura do parágrafo anterior ouvia seus funks no último volume! O som era tão alto que parecia que o fone de ouvido dele era uma espécie de megafone, sei lá. Mudei de lugar – um banco na frente – mas não adiantou. Fui acordado mesmo, quase xingando o infeliz pelo falta de educação.

Na volta do trabalho a esperança voltou: peguei o metrô, depois a integração e já ia embarcando num cochilo quando um rapaz sentado do outro lado do ônibus começa a conversar no celular. Conversar não, berrar. Seres civilizados não conversam daquele jeito. Falava tão alto que praticamente acompanhei a conversa inteira mesmo estando sem o menor interesse na professora dele que não foi a aula porque estava doente e sei lá mais o que.

Não foram as primeiras vezes que coisas assim aconteceram. Na próxima vez que um maluco começar a falar/ouvir som alto no busão prometo protestar: começo a berrar no ouvido do infeliz…